Home
Ananda Surya
Yoga
Yoga no Ananda Surya
Horários
Mantras
Dicas Ayurvédicas
Mensagem da Semana
Artigos
Vídeos
Indicação de Livros
Cursos e Eventos
Receitas
Fotos
Links
Contato
Blog Ananda Surya Yoga
       


Por Juciara Cabral e Leandro Gomes

Data: 01/11/2006.

    

                                                                                         




              A medicina indiana, uma das mais antigas do mundo,
prega que boa saúde é resultado direto de viver em harmonia
com o Universo.
Dhanvantari, Médico dos deuses, criador dos sistemas de curas do Ayurveda

      

       Todo Ser Humano tem direito a uma vida longa e saudável. Todo mundo deveria lutar ativamente por esse direito. Caraka apud Rhyner (1992), declarou: “Em geral, as atividades humanas giram em torno da religião, do progresso econômico, da busca da felicidade e da emancipação espiritual. Todas essas metas só podem ser alcançadas quando possuímos mente e corpo sadios. Portanto, a atividade humana mais importante é a proteção e a preservação da saúde”. O trabalho duro, a ambição e a adesão mais estrita a padrões morais de nada valem se estamos mortos. Porém as doenças e a morte não são apenas dados estatísticos de que dispõem as companhias de seguro. Elas podem ser influenciadas diretamente por toda pessoa. A prevenção das doenças deveria ser  a nossa maior preocupação.

         A ayurveda é uma antiga ciência milenar, datada a mais de 5000 anos, pertence à Índia e seu idioma original é o sânscrito.


Ayurveda
Ayur  = vidaVeda =  conhecimento, ciência, verdade.

         Seu propósito é obter o equilíbrio do corpo, da mente e do espírito para o resultado de uma vida longa e feliz.

 

Primeiro fazemos nossos hábitos.

Depois, nossos hábitos nos fazem.

(De Lucca apud Jonh Dryde, 2003).

 

         O ayurveda compreende o corpo, a mente e o espírito numa única visão, e tem métodos específicos para trabalhar com cada um deles (Frawley, 1996; 1999).

         Não considera o ser humano como um grupo ilimitado de processos bioquímicos. Não acredita que a mente seja apenas uma função do cérebro.Não vê a pessoa como um produto das circunstâncias sociais, embora todos esses fatores possam ser importantes.

         De acordo com o ayurveda o homem representa o micro do macrocosmo que é o universo. O universo é constituído a partir de 5 grandes elementos. Ar, éter, fogo, água e terra. Desta forma o homem também é formado (Frawley 1999; Verna, 2003; Chopra, 2004; Ma Prem Illa, 2005; Ruguê,2005).

         A interação dos 5 grandes elementos com o homem chama-se “dosha”, palavra do idioma sânscrito que significa bioenergia, humor corporal, DNA energético, constituição corporal ou biotipologia.

        Todo temperamento psicossomático ou constituição é determinado no momento da concepção de acordo com o maior percentual destes elementos encontrados no óvulo da mãe e no espermatozóide do pai, então há uma fusão e o novo ser será constituído a partir desta base.

         Segundo Chopra (2004) os doshas são singulares e extremamente importantes, pois permitem que a mente dialogue com o corpo. Todos os nossos desejos, esperanças, temores e desejos, assim como os menores sinais de emoção, deixam marcas no organismo. Esses eventos mentais moldam constantemente o corpo enquanto  “falam” com ele.

         Existem três doshas: Vāta, Pitta e Kapha. Eles regulam milhares de funções diferentes no sistema mente-corpo (Chopra, 2004).

         Cada pessoa possui  uma proporção única dos três no corpo, que é determinada na data do nascimento. A essa proporção imutável, uma espécie de DNA dóshico, da-se o nome de prakriti. É de acordo com o prakriti que todas que todas as características físicas, psíquicas e espirituais do indivíduo  se manifesta.

        Cada indivíduo pode ter a predominância de um, dois e até todos os três doshas no corpo. Isso faz com que cada pessoa seja tratada como única.


Vāta
Ar  + Éter       

Pitta                 
Fogo + Água

Kapha
Água + Terra
Controla

Movimento
Controla

Metabolismo
Controla

Estrutura

Fonte:VERNA, 2003.

        O dosha vāta, formado pelos elementos ar e éter, representa o vento corporal – leveza, estrutura esguia, rapidez nas atividades, fome e digestão irregulares, sono leve e interrompido, entusiasmo, vivacidade, imaginação, excitabilidade, mudança de humor, tendência a preocupação, energia física e mental em explosões repentinas.

       Vāta rege o movimento e é responsável pela descarga de todos os impulsos voluntários e involuntários. Ele trabalha principalmente através do cérebro e do sistema nervoso. No sistema digestivo, ele se relaciona com o baixo abdômen, particularmente no intestino grosso onde o gás (ar) se acumula. Os sentidos  do tato e da audição, que correspondem aos elementos do ar e do éter, fazem parte dele. Vāta é a força que guia os outros doshas, porque a própria vida deriva do ar. Vāta leva em conta a agilidade, a adaptação e a facilidade na ação. Seu poder nos anima e nos dá a sensação de vitalidade e entusiasmo. Ele energiza todas as funções mentais desde os sentidos até o subconsciente. Permite-nos a reagir mentalmente a impulsos internos e externos. O medo e a angustia são seus principais desequilíbrios emocionais, que ocorrem quando sentimos que nossa energia vital de alguma forma está ameaçada ou comprometida (Frawley 1999; Verna, 2003; Chopra, 2004).

        O dosha pitta, formado pelo fogo e água, representa o calor ou fogo biológico – constituição mediana, temperamento empreendedor, gosto por desafios, inteligência aguçada, muita fome, sede e boa digestão, tendência à raiva e irritabilidade sob tensão, aversão ao sol e ao calor, caloroso e ardente nas emoções, quando equilibrado.

        Pitta rege a transformação  no corpo e na mente, na forma de digestão e assimilação em todos os níveis, desde a alimentação até as idéias. Ele tem preponderância no sistema digestivo, particularmente no intestino delgado e no fígado, onde o “fogo” da digestão está em atividade. Além disso, é encontrado no sangue e no sentido da visão, que corresponde ao elemento fogo. Pitta é responsável por todo calor e luz, desde a percepção sensorial até o metabolismo das células. No que diz respeito à mente. Pitta rege a razão, a inteligência e o entendimento – a capacidade iluminada da mente. Ele faz com que a mente perceba, julgue e discrimine. A raiva é seu principal distúrbio emocional(Frawley 1999; Verna, 2003; Chopra, 2004).

        O dosha kapha, formado pela água e terra, representa a água biológica – constituição forte e sólida, energia constante, gestos vagarosos e graciosos, personalidade calma e tranqüila, tendência à obesidade, afeição, tolerância e generosidade, tendência a possessividade e complacência, busca consolo emocional nos alimentos.

        Kapha é a solução fluida, o oceano interior, em que em que se movem os outros dois doshas. E constitui a principal substância do corpo. Fornece a lubrificação necessária e a eliminação de secreções, além de acalmar os nervos, a mente e os sentidos. O Kapha predomina no corpo e na parte superior do corpo -  o estômago, os pulmões e a cabeça, onde o muco se acumula. Relaciona-se com os sentidos do paladar e do olfato, que correspondem à água e a terra. Kapha rege o sentimento, a emoção e a capacidade que a mente tem de se apegar à forma. Transmite serenidade e estabilidade, mas pode impedir o crescimento e a expansão. O desejo e o apego são seus desequilíbrios emocionais mais comuns, o apego às coisas na mente, e isso pode sobrecarregar a psique (Frawley 1999; Verna, 2003; Chopra, 2004).

Existem duas naturezas dos doshas:

A essência (como você nasceu) Prakriti – isto é a fisiologia

A desarmonia (o desequilíbrio) vikriti – isto é fisiopatologia

         Cada pessoa possui um prakriti exclusivo.  Um questionário de doshas pode mostrar sua classificação em linhas gerais, pois de acordo com sua rotina, sua alimentação e até sua profissão a constituição dóshica pode se distanciar do equilíbrio do prakriti e adquirir uma configuração instantânea diferente (vikriti).  

        Segundo Maharishi Ayurveda apud Chopra (2004), o desequilíbrio dos doshas é o primeiro sinal de que a mente e o corpo não estão perfeitamente coordenados. Por outro lado, ao restaurarmos os doshas criamos a possibilidade de manter um sistema mente-corpo sempre bem equilibrado, saudável e em evolução constante.

        Cada célula do nosso corpo deve conter esses três princípios. Para continuarmos vivos, nosso corpo precisa de Vāta: o movimento que permite a respiração, a circulação do sangue, à passagem dos alimentos pelo trato digestivo e o envio dos impulsos nervosos do cérebro. Precisa de Pitta: o metabolismo que processa o alimento, o ar e a água através de todo o sistema. E precisa de Kapha: a estrutura que mantém as células unidas e forma os músculos, a gordura, os ossos e tendões. A natureza precisa das três funções para formar o ser humano. Os três doshas existem em todas as pessoas e devem todos eles, ser mantidos em equilíbrio total, ele fornece o principal ingrediente para a mudança, você como foi criado pela natureza.

       Ayurveda é o ramo da cura da ciência yogue. O yoga é o aspecto espiritual do ayurveda, ao passo que este é o ramo terapêutico do yoga (Frawley, 1996).            Segundo Frawley (1996), o ayurveda vale-se métodos yogues, como ásanas (posturas) e os pranayamas (exercícios respiratórios), para tratar as doenças físicas.  Os métodos de tratamento ayurvédico para a mente incluem práticas yogues como mantra e meditação.




Copyright © 2006 Juciara Cabral & Leandro Gomes. Reprodução autorizada com autorização por escrito dos autores.

 
   
   
   
Top